domingo, 17 de dezembro de 2017

Resiliência: a habilidade de renascer!

Imprevistos e situações traumáticas acontecem com todos nós em algum momento da vida. Porém, nossas reações a essas situações são diferentes. Primeiro, porque ninguém é igual a ninguém, e segundo porque algumas pessoas possuem mais resiliência do que outras.

Resiliência é capacidade de renascer e de se reinventar, após momentos de dificuldade na vida. Muitas pessoas se questionam como aplicar essa habilidade e se recuperar após adversidades. A verdade é que todos temos a resiliência dentro de nós, e somos responsáveis por nossas próprias recuperações. Cabe a você enxergar suas dificuldades como oportunidades ou limitações.

As pessoas resilientes são como nós, também se sentem tristes e magoadas, quando enfrentam dificuldades. No entanto, o que as diferencia é sua capacidade de obter força, através da própria situação, para superar e seguir em frente com suas vidas, ao invés de ficarem paralisadas e desesperançosas.

Essas pessoas não são superiores ou mais desenvolvidas do que nós, apenas incorporam certos comportamentos e formas de pensar que todos nós podemos aprender e aplicar em nossas vidas. Elas aceitam a vida como ela é e buscam melhorar a si mesmas, pensam de forma mais precisa e realista, evitam tirar conclusões precipitadas e sabem que todos estamos aqui para servir a um propósito maior.

Nem sempre é fácil o processo de renascer depois de grandes decepções, mas certamente nos traz inúmeros benefícios.

Ser resiliente nos torna pessoas mais otimistas e crentes em nossa capacidade de sucesso, o que melhora as nossas manifestações em nossas vidas. Também nos dá sabedoria para identificar as causas de um problema e prevenir para que não aconteça novamente, além de nos fornecer energia e motivação para encontrar desafios e oportunidades de evolução.

As pessoas resilientes também são mais "saudáveis", física e espiritualmente, são mais felizes com sua aparência e se saem melhor em seus estudos e ocupações.
Como resultados, criam relacionamentos positivos, que estão de acordo com seu propósito e contribuem para seu crescimento.

Para encerrar, a resiliência ajuda a nos tornarmos mais bem-sucedidos e a levarmos vidas mais completas e conscientes, tornando-nos mais fortes a cada obstáculo superado.

TEXTO DE: Luiza Fletcher
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 19 de Dezembro de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR. Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.

Espere. Tudo tem seu tempo certo para acontecer.

Via de regra, vivemos extremamente ansiosos na expectativa que as coisas que desejamos aconteçam. Esquecemos que tudo sobre a terra tem seu momento certo de chegar.

O nosso tempo não é  o mesmo de Deus e nada obedece a nossa vontade e muito menos depende da urgência incontida que não conseguimos dominar.

Muitas vezes ficamos estressados, excessivamente impacientes e não compreendemos que a vontade de Deus, por ser soberana, prevalece sobre a nossa e que tudo nos será proporcionado conforme a vontade d'Ele e não ao nosso querer, as nossas exigências, reclamações e peditórios inconsistentes, que mais parecem uma intimação.

Somos imediatistas, teimosos, imprudentes, desejando sempre atropelar o tempo e, com isso, gerando toda sorte de desequilíbrios, os quais só nos acarretam dissabores de toda espécie.

Falta-nos bom senso, paciência e, sobretudo, fé para aguardar a vontade de Deus realizar-se em nossas vidas.

Teimamos em insistir que os fatos ocorram, segundo a nossa insensatez, não levando em conta que tudo obedece a uma programação previamente traçada pela Leis Cósmicas que regem nossos destinos.

Sabemos muito bem que o que nos é direcionado encontrará uma forma de chegar até nós, naturalmente, sem precisar que nada façamos ou forcemos para que se realizem.

Nada nem ninguém pode impedir a concretização do plano Divino em nossas vidas, a não ser nós mesmos pela nossa precipitação, imprudência e invigilância no sentido de desarmonizar o que nos foi reservado com muito amor.

No período atual de transição pelo qual nosso planeta está passando, o egoísmo, a rebeldia, a não aceitação da vida que temos, a arrogância exacerbada, arrasta multidões movidas pela ambição a abandonar princípios  e desprezar valores morais e éticos que formam o caráter do homem de bem,  obediente a Deus, cumpridor de seus deveres, conscientes da onipotência divina.

Necessitamos mais que nunca exercitar a virtude da paciência. Sem ela, nada se faz.

Devemos trabalhar melhor a nossa compreensão, procurando entender que não devemos e nem podemos ir contra os desígnios do "alto", domando nosso orgulho, prepotência e vaidade desmedidas, conscientes de que não nos é permitido sabotar impunemente a vontade divina, precipitando o que Deus nos reservou, do alto de sua misericórdia e sabedoria infinitas.

TEXTO DE: Yára Uchôa Barreto
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 18 de Dezembro de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR. Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Lute por seus objetivos. Gente satisfeita não inveja ninguém

Nesses tempos em que todo acontecimento, por menor que seja, é transmitido aos quatro ventos, não raros são os episódios de inveja que as atualizações de status são capazes de provocar.

Na lista expressa para uma inveja rápida e talvez duradoura assumem o topo as festas, aquisições e novos relacionamentos. Sucesso profissional e passeios também são capazes de arrebanhar uma multidão de invejosos a cada publicação.

Tudo isso graças ao povo que não se conforma com as novidades alheias e não perde a oportunidade de rebaixá-las; tem muita gente que ainda acha a grama do vizinho mais viçosa e verdinha que a sua e se consome por isso.

Esse mal-estar que se abate sobre muitas pessoas vem, sobretudo, da incapacidade que elas têm de criar suas próprias novidades; de fazer suas apostas e tentativas para ter com o que se ocupar.

Aliás, a inveja nasce exatamente disso: da falta de objetivos, ou de garra para fazê-los acontecer.
E é justamente nessas circunstâncias que muitas pessoas gastam suas energias revirando a vida dos outros, criticando e menosprezando as conquistas dessas pessoas, porque não está sendo capaz de investir em seus próprios projetos.

Alguns até chegam a elaborar metas, mas não são capazes de estabelecer meios nem prioridades. E ficam parados na mesma, pelo no meio do caminho, sem saber exatamente aonde ir. Além do que, existe muita gente medrosa por aí, ou preguiçosa mesmo, que não tem coragem nem disposição para sair da mesmice. É essa frustração, misturada com prostração, que causa essa pavorosa onda de inveja que vemos.

E para quem caiu nesse embuste que é a inveja, a solução é se envolver menos com as vitórias alheias e investir forças em algo construtivo para sua própria vida. E depois dos planos, lançar-se de corpo e alma para tornar sua vida tão satisfatória quanto as que você tem observado.

Afinal de contas, todas as pessoas são interessantes. E têm momentos bons e outros nem tanto assim. Quem aparece sorrindo e contando coisas espetaculares em redes sociais também quebra a cara de vez em quando, porque isso acontece com todo mundo. É natural!

Mas é justamente desse enfrentamento, desse "tentar a sorte", que as novidades podem surgir.

Então, ao invés de cobiçar os acontecimentos alheios, não se esqueça de colocar força e fé nos seus. Invista mais em si mesmo!

Um conselho infalível para o caso de você se perguntar por que as coisas mais legais acontecem sempre na vida do outro: aposte mais fichas em você e esqueça o que acontece com os outros.
Gente satisfeita com a própria vida não tem tempo para invejar ninguém. E a vida é preciosa demais para ser gasta com inveja dos fatos alheios.

TEXTO DE: Alessandra Ferrari Piassarollo
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 16 de Dezembro de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR. Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Livre-se do barulho mental, aquiete sua mente.

Com certeza absoluta, somos bem mais felizes e sem dúvidas vivemos melhor, quando nossos pensamentos estão em ordem e não permitimos que causem tumultos em nossas cabeças.

É muito importante mantê-los alinhados, direcionando-os de maneira correta e equilibrada, isso exige muita disciplina e obviamente educação e controle mental.

É todo um aprendizado que nos ensina a nos manter calmos, serenos, quando uma enxurrada de pensamentos desordenados desaba sobre nossas cabeças, causando-nos transtornos dos mais variados os quais podem nos causar, em futuro próximo, danos irreparáveis.

Aquietar a mente, exercer o devido controle sobre a mesma, não deixar que o barulho desordenado de pensamentos inquietantes seja mais importante que a nossa paz, é um trabalho de persistência diário até que programemos a nossa mente, aprendendo a selecionar o que realmente é relevante e devemos fixar a nossa atenção e o que devemos descartar de imediato.

Sim, porque o barulho mental é profundamente desagradável, podendo tornar-se patológico.

Por isso necessitamos disciplinar nossas mentes, voltando nossos pensamentos para o que verdadeiramente faz sentido e merece nossa preocupação.

É de suma importância saber conduzir as situações inquietantes, de forma a resolver um problema de cada vez, não nos pondo em desequilíbrio desejando solucionar tudo ao mesmo tempo.

Vivemos tempos difíceis, eu bem sei e muitas vezes é necessário que tenhamos um grande autocontrole para nos conter e não nos deixar levar pelas dificuldades que sempre surgem em nossas vidas, querendo resolvê-las, todas ao mesmo tempo, estabelecendo, dessa forma, um verdadeiro caos mental.

Se nos mantivermos calmos, automaticamente silenciamos a mente e as soluções, pouco a pouco, começam a aparecer.

Estabeleçamos metas saudáveis e sigamos por elas. Procuremos o máximo possível nos manter serenos, pesando sempre os prós e os contras do que vamos fazer. 

Nunca é demais usar de cautela ao falar com as pessoas, não emitir opiniões indevidas a respeito de assuntos pessoais alheios, discussões inúteis, ambientes tumultuados, pessoas desajustadas, etc., mais uma série de coisas que nos perturbam e nos tiram do sério.

Estejamos sempre conscientes de que mentes nebulosas, obtusas, são responsáveis por sérios danos aos seus portadores.

Nada nem ninguém vale a nossa paz, nosso equilíbrio físico, mental e espiritual. Enfim, façamos o possível para descartar da nossa vida tudo aquilo que não agrega, não soma, não traz paz ao coração.

Que possamos acreditar que merecemos sempre o melhor, busquemos nos livrar do barulho mental, aquietando nossa mente, enchendo-nos de levezas, permitindo que brilhe nossa luz!

TEXTO DE: Yára Uchôa Barreto
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 15 de Dezembro de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR. Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Faça por onde nunca perder a confiança que depositam em você.

Entre as inúmeras virtudes que caracterizam o ser humano, a confiança destaca-se com umas das mais importantes!

É muito bom ser alguém confiável, integro, honesto, alguém com quem a família e os amigos possam falar abertamente sobre seus problemas, dificuldades, abrir o coração e desabafar suas alegrias, dores, tristezas, felicidades, enfim, uma pessoa digna e correta.

Alguém que sabe a importância de ser discreto, ouvindo e calando o que lhes confidenciam e não sai espalhando por ai irresponsavelmente o que sabe.

Quem, em um mundo tão conturbado, onde reina tanta hipocrisia, onde as pessoas sabem mais da vida dos outros que das suas próprias, onde tudo é motivo para se armar um circo, e movido por uma das maiores vilãs da humanidade a perigosa e destruidora "INVEJA," saem pela vida espalhando "inverdades" sobre os segredos que lhes são confiados, não gostaria de ter um amigo(a) verdadeiro? Óbvio que todos desejam ter por perto alguém assim!

Quem é portador de uma virtude dessas deve preservá-la ao máximo possível, não se permitindo nunca contaminar por "fofocas" e sentimentos outros que não sejam do bem.

As tentações do mundo são enormes, o poder desmedido, a riqueza ilícita, a desonestidade, a famosa troca de favores, etc, e mais uma série de coisas contribuem assustadoramente para que personalidades fracas caiam.

É preciso que haja muita vigilância nesse aspecto para que se evitem transtornos que viram verdadeiros labirintos dos quais dificilmente se consegue sair.

Portanto, não minta, não engane a ninguém e nunca, mas nunca mesmo, traia a confiança, a boa fé que alguém deposita em você.
Confiança é algo muito sério, delicado, é como um cristal que uma vez partido não tem mais conserto.

Lidar com traição de qualquer natureza é sempre muito complicado, a pessoa ou as pessoas atingidas podem até perdoar, porém não confiam mais em você. Até porque tudo tem a primeira vez, e é exatamente por causa dessa primeira chance que sempre volta a se repetir. Você pode até falar a maior verdade, todavia, ninguém, e em especial a pessoa traída, confiará em você.

A confiança é um sentimento que quando perdido muito dificilmente será recuperado.

Por isso é necessário pensar bem, refletir, pesar os prós e os contras com cautela, antes de dar passos errados que possam comprometer não só sua vida, mas, sobretudo, estragar a vida de muita gente.
Pense nisso!

TEXTO DE: Yára Uchôa Barreto
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 14 de Dezembro de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR. Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

A vida é para quem corre atrás, não para quem, passivamente, espera.

Confesso que tenho uma certa preguiça do jargão “Eu decidi esperar”, muito comum nas redes sociais. Como assim? Não seria mais coerente a pessoa entrar em ação em busca do que deseja?

Sabe, isso tem cheiro de comodismo temperado com falta de senso de realidade.  É a típica passividade de quem não tem coragem de arregaçar as mangas e lutar pelos próprios objetivos. Então, prefere esperar que algo caia do céu ou que Deus ou o Universo entregue de mãos beijadas aquilo que ela deseja.

Ah, isso também se aplica aos relacionamentos amorosos, viu? Eu compreendo que não é possível planejar um relacionamento amoroso como quem planeja a compra de um carro.

Entretanto, a pessoa precisa fazer o mínimo para facilitar esse processo. Alguém    que investe em si próprio, é uma pessoa interessante, mesmo que não tenha uma aparência de arrancar suspiros. Quem tem vida própria e orgulho da própria existência, é alguém que desperta atração e fascínio no outro. É que, lamentavelmente, existem pessoas cuja motivação para viver resume-se em encontrar alguém para se relacionar. Diante disso, nada fazem de interessante por si mesmas, aí complica, não é?

Nada acontece sem ação. Não podemos confundir paciência com comodismo.

Ter paciência é entender que existe um tempo certo para cada coisa acontecer. É compreender que existe um lapso temporal entre o plantio e a colheita.

Contudo, entre essas duas fases existem várias ações que envolvem: regar, podar, retirar as ervas daninhas, proteger a planta de determinados insetos peçonhentos, etc. Em contrapartida, o comodismo está relacionado à inércia quase que absoluta. A pessoa não faz nada em prol do que deseja e acredita, que, num passe de mágica, ela será agraciada, simplesmente, porque ela é merecedora.

A Bíblia diz que a fé sem obras é morta. Em minha crença pessoal, acredito que Deus se alegra quando decidimos participar das dinâmicas dos milagres que tanto pedimos.

Não porque Ele precisa de nossa ajuda, e sim para percebermos que, muitas vezes, consideramos impossível algo que está ao nosso alcance e que não percebemos porque o medo embaça a nossa visão.

Dar um pequeno passo, ainda que vacilante, em busca daquilo que tanto desejamos é o início de um empoderamento que cresce a cada vez que optamos por não recuar.  E as portas vão se abrindo e os nossos medos vão ficando cada vez mais tímidos. Não é possível evolução sem enfrentamento, sem esforço, sem suor, sem foco e sem disciplina. Isso não é frase clichê, é uma realidade inquestionável.

A vida é para quem corre atrás, não de quem, passivamente, espera.

Se, quando éramos bebês, tivéssemos desistido de andar na nossa primeira queda, estaríamos até hoje engatinhando pelo chão. Entretanto, como não nos importávamos com os julgamentos de quem quer que seja, insistimos. Alguns evoluíram ao ponto de correrem maratonas internacionais. Nós carregamos as sementes de muitos dos milagres que queremos, elas estão dentro de nós, no entanto, muitas vezes, preferimos buscar fora, subjugando a nossa força e menosprezando a nossa capacidade.

Outra coisa, aquilo que é conquistado por nosso mérito é infinitamente mais gratificante do que aquilo que recebemos de mãos beijadas. É como se receber algo sem fazer por onde nos lembrasse do quão folgados somos. Soa como favor imerecido. Não estou fazendo apologia ao orgulho ou à arrogância. Lógico que é muito bom receber presentes, refiro-me àquilo que poderíamos fazer, mas, nem sequer tentamos, daí, o outro que não é, em nada, mais qualificado que nós, vai e faz por nós.

Como, lindamente, canta Geraldo Vandré: Vem, vamos embora, que esperar não é saber, quem sabe faz a hora, não espera acontecer.

TEXTO DE: Ivonete Rosa
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 13 de Dezembro de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR. Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.

domingo, 10 de dezembro de 2017

O que fazemos quando a vida não nos deixa pegar o ossinho?

Outro dia, vi uma cena comum: uma pessoa passeando com seu cachorro.

Acontece que o cachorrinho se interessou por algo no chão e logo tentou pegar. Seu dono, rapidamente, puxou a guia.

O cãozinho tentou lutar, dava para ver que ele queria muito aquele ossinho! Mas não adiantou.

O dono era mais forte, e o arrastou para longe.

E eis que o cachorrinho desistiu do osso e acompanhou de bom grado o seu dono.

Pensei: esse cachorrinho é muito inteligente! Mais que eu em alguns momentos!

Por que?

Ele queria muito aquele osso. Mas, por algum motivo, que ele não pôde controlar, ele não conseguiu o que queria. E o que ele fez? 

Seguiu em frente, feliz! Afinal, é provável que existirão outros ossinhos pelo caminho, não é?
Por que perder tempo pensando naquele ossinho que ele não ganhou?

Poderia até mesmo ter ficado bravo com o seu dono, ressentido: poxa, por que me impediu ter o que eu queria?! Mas, não. Ele rapidamente seguiu em frente. Para que perder esse dia lindo?

Esse cachorrinho, ele sabe muito!

Porque o osso poderia facilmente representar algo que eu, ou outra pessoa, desejamos muito: aquela oportunidade que colocamos tanta expectativa, mas não aconteceu como queríamos. Aquele projeto que investimos e não deu certo. Aquela situação que foi idealizada, mas tomou outro rumo. E o dono? Ele representa as circunstâncias do mundo externo. Tudo aquilo que não podemos controlar – que é mais forte do que nós.

Mas o que fazemos quando a vida não nos deixa pegar o ossinho?

Muitas vezes ficamos olhando para trás! Ressentidos com a vida: “Por que não consegui o ossinho? Eu queria tanto! Ó vida…”

E sofremos um longo tempo pensando no que poderia ter sido, no que desejamos, mas não obtivemos. Deixamos de aproveitar os dias e as novas oportunidades, porque focamos naquilo que não realizamos.

Eu admiro o cachorrinho, quero ser como ele, que logo seguiu em frente.

Afinal, existirão outros ossinhos no caminho. Por que estragar um dia perfeito de passeio por isso?

TEXTO DE: Gabriela Mondelo
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 12 de Dezembro de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR. Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.