domingo, 23 de abril de 2017

Você nasceu para mudar o mundo de alguém, não para agradar a todos

Sim, enquanto você se consome todos os dias por não conseguir agradar a muitos, Deus trabalha em sua vida para te fazer um instrumento de mudança na vida de alguém, Ele molda os seus pensamentos, Ele refaz as suas forças, Ele te enche de sabedoria, Ele reconstrói a sua inteligência e a torna habilidosa e sensata, Ele te capacita a fazer coisas que no seu estado humano natural você não faria, Ele te concede dons e te enche do Espírito Santo dEle, para que tudo que você fizer, falar ou agir seja pela sua perfeita vontade, e faça algo de extraordinário na vida de quem realmente deseja ser feliz e precisa da sua ajuda.

Não se torture quando alguém não elogiar ou aplaudir os seus feitos, não se sinta pra baixo quando alguém disser que não gosta de você, que não se agrada daquilo que você faz ou que não esta satisfeito com a sua presença, com a sua vida, com as suas realizações ou com a sua forma de lidar com os outros. 

Psiu, agradar A TODOS mata a nossa personalidade, e não estamos aqui para nos anular e sim para fazermos a diferença na vida daqueles que realmente acreditam na gente. Você não tem que viver para quem não te admira, isto cansa, você tem que fazer valer a pena a sua vida e mostrar para que veio a este mundo através de suas atitudes verdadeiras e honestas diante de Deus e de você mesmo. 

Você nasceu com propósitos, e só sentirão a força do seu coração aqueles que se permitirem a ele. Segue o seu caminho semeando as suas boas sementes, foque naquilo que realmente contribuirá de alguma forma com o seu futuro. 

Ignore este povinho mal amado que já se profissionalizou em atirar pedras, não seja justiceiro querendo a todo custo tirar satisfações com quem não muda nada em você, faça os seus dias valerem a pena, faça a sua alma ser mais bonita, desconstrua suas opiniões formadas em cima das feridas que já te causaram, e reconstrua um pensamento novo de fé, esperança e confiança naquele que te prepara um caminho novo todos os dias e que não te cobra aparência, nem te diminui pelo que você realmente é.

TEXTO DE: Cecilia Sfalsin
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 26 de Abril de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR
Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.

O risco é uma escolha que pode dar errado, mas que pode também dar muito certo.

Por que é tão difícil decidir? Por que não arriscar?

Decidir nos faz assumir uma grande responsabilidade sobre o que virá depois, por consequência. Ter o poder de deliberar uma situação é um tanto assustador pelo fato de que não existem certezas e, portanto, nunca saberemos se o que decidirmos nos levará ao estado desejado. Ou seja: podemos vir a nos arrepender.

Então, o medo de tomar uma decisão errada nos leva a suportar as inquietações que nos roubam a paz. Essa “falta de garantia” de que vai dar tudo certo faz parecer mais cômodo viver a insatisfação, que provocar a mudança.

O risco é uma escolha que pode dar errado, mas que pode também dar muito certo. Por que não arriscar? Ou melhor: por que não arriscar SER FELIZ? 

Se não tentarmos, nunca vamos saber. Talvez, o nosso maior receio seja o de não poder reverter as nossas decisões. Mas nada, afinal, é definitivo, e aquilo que é irreversível encontra uma adequação. Quando erramos um comando do GPS ele não faz uma reprogramação?

Assim é a vida. Têm coisas que duram mais que o conveniente e se tornam um fardo. Quando uma decisão envolve mudança, procrastinamos para evitar a dor da readaptação, natural, até que o novo entre em harmonia e conformidade. Mas o tempo é o remédio eficaz e imbatível para todas as situações. Com paciência e perseverança, tudo se encaminha e novas motivações nos guiam para uma condição melhor.

Nós não viemos ao mundo para padecer no sofrimento, na insatisfação. Estes são sintomas que anunciam a necessidade de transformação. Nós estamos pisando na areia derramada da nossa ampulheta da vida. Num estalar de dedos ela cessa.

Chegada a hora, o livro sobre a cabeceira que não terminamos de ler, o meio frasco do perfume preferido, tudo ficará para trás. Essa mania de deixar para amanhã, de guardar para depois, de adiar os planos, de ficar criando coragem para fazer o que tem que ser feito agora!

Nós temos medo de viver de verdade e nos aprisionamos à arquibancada como espectadores inertes, lamuriando a má sorte.

Mas no fundo reconhecemos que somos covardes e invejamos a força e a coragem daqueles que ousam tomar uma decisão, enfrentando todos os riscos para apostar num vislumbre de felicidade.

TEXTO DE: Cris Grangeiro
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 22 de Abril de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR
Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.

A BALEIA AZUL NÃO TEM CULPA

Lamento informar aos pais, mas não vai adiantar acabar com a "baleia azul". Se acabarmos com a baleia, pode vir o "elefante roxo", o "tigre amarelo", o "pica pau cor de rosa" e outros. O que de fato está faltando é a "cor" nas famílias.

Estamos demasiadamente distraídos e buscando culpados o tempo todo. Estamos com pais "cinzas", sem vida, sem ação, sem autoridade, sem carinho com os filhos, sem tempo.

Acredite, ninguém substitui você na vida de seus filhos. Quando falta você (pai e mãe), seu filho buscará preencher sua ausência com qualquer bicho de 7 cabeças ou sem cabeça alguma.

Sabe porque essa geração de filhos não sai do celular, do computador, dá internet, do isolamento? Porque vocês os empurram pra esse mundo virtual.

Os pais não tem dado o carinho real, o abraço acolhedor, não tem tempo para brincar com os filhos, rolar no chão, sujar a roupa com eles.

Aproveitem que surgiu a novidade dá baleia azul para alcançar a graça de acordar para o cuidado com seus filhos.

Se você não tiver tempo para seus filhos, todos os bichos do mundo terão.

Resgate seu filho, sua família.

TEXTO DE: Não encontramos a autoria do texto acima. Fineza nos informar através do -email mensagem@toninholima.com.br
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 24 de Abril de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR
Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

UM MOMENTO PODE MUDAR TUDO: SOBRE AS REVIRAVOLTAS QUE A VIDA DÁ

A cada dia acredito mais que a mudança, quando tem que acontecer, te pega de jeito, te revira do avesso, te caça, te acha, te incomoda, te grita, te aperta, mas acontece, não tem pra onde correr. É como se você passasse uma vida inteira fugindo de algo que, lá no fundo, você sempre soube que teria que lidar um dia. É aquela coisa: você pode até fingir ser quem não é, fazer o que não gosta, comprar o que não precisa, trabalhar com o que detesta, construir-se na fachada de qualquer coisa que te esconda da sua essência, mas, uma hora, o calo aperta, o coração machuca, a alma grita, o grito sai da garganta. Não dá pra viver uma vida morna, desconectada de quem a gente realmente é. Simplesmente não dá. Eis o maior arrependimento de quem já se vê num leito de morte: ter apenas existido. Ter passado pela vida sem ter realmente vivido.

É engraçado como o nosso destino é traçado em um único momento. O momento em que você disse sim. O momento em que você disse não. O momento em que resolveu partir. O momento em que resolveu ficar. O momento em que começou. O momento em que terminou. O perdão não dado. O perdão sincero. Tudo o que poderia ter sido, mas não foi. Tudo o que simplesmente foi e que você não gostaria que tivesse acontecido, mas que aconteceu. Um único momento.  E a vida revirando as gavetas, tirando todas as nossas certezas de lugar, fazendo as vezes de escola, de carrasca, de amiga, de colo, de ombro, de tempo, de tudo. E a gente ali, às vezes sem entender o porquê. Sem saber que está tudo certo. Que aconteceu absolutamente tudo o que tinha que ter acontecido para que estivéssemos exatamente onde estamos agora.

Ah, o agora. Aquele momento que pode mudar tudo.  Fazer de outra forma. Recomeçar de uma outra maneira. O momento em que você pode simplesmente escolher se dar uma chance na vida, olhar para dentro e descobrir que é muito mais forte e mais capaz do que imagina, dar o primeiro novo passo, virar a página, escrever uma nova história. Porque não adianta correr: quando as coisas têm que acontecer, elas acontecem.

Por muito tempo tive muito medo das mudanças, porque a zona de conforto me provia da tal da ideia de segurança e proteção que eu sempre ansiei na vida. Era como se mudar me desestabilizasse emocionalmente e me colocasse numa posição de risco que eu não estava disposta a correr. Mas veja que bela ironia: ao mesmo tempo em que era extremamente confortável permanecer no lugar comum, conhecido, quentinho, protegido, eu achava penoso  demais ter que arrastar a vida com a barriga, ligar o piloto automático e seguir a cartilha como se eu fosse um zumbi. “Eu vejo gente morta”, dizia o personagem do filme O Sexto Sentido. “Com que frequência?”, perguntavam. “O tempo todo”, ele respondia. E eu conseguia enxergar gente morta também. Morta de tédio, de raiva, de cansaço, de descrença, de falta do que fazer. Gente que arrastava a vida como se arrasta um carrinho no mercado. Até quando? Por que será que, quando mais precisamos de nós mesmos, mais nos faltamos?

Estava aí a equação que eu vivia varrendo para debaixo do tapete, tipo roupa que a gente soca no armário quando chega visita. Por fora, tudo limpo, arrumado, organizado. Por dentro, uma zona.

É assim que as coisas acontecem: chega uma hora em que a porta se abre e a coisas começam a cair lá de dentro. A água entorna do copo, porque ele já estava cheio demais. E aí, o que a gente faz?

A gente se dá conta de que chegou o momento de lidar com isso. De que é melhor organizar-se internamente primeiro para que o nosso exterior possa ser o reflexo exato da paz que começamos a buscar no interior. E então acontece uma coisa doida: embora a gente sempre tenha se munido de um mundo de coisas de todos os lados, socando tudo aqui e acolá, começamos pela primeira vez a nos sentirmos realmente completos na vida. Ao esvaziarmos aquilo que nos enchia, nos completamos. Não é louco isso?

A mudança. Um único momento.

Quando é que você se dará a chance de viver o seu?

TEXTO DE: Ana Paula Ramos
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 22 de Abril de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR
Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

É Proibido

É proibido chorar sem aprender, levantar-se um dia sem saber o que fazer, ter medo de suas lembranças.

É proibido não rir dos problemas, não lutar pelo que se quer, abandonar tudo por medo, não transformar sonhos em realidade.

É proibido não demonstrar amor, fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau humor.

É proibido deixar os amigos, não tentar compreender o que viveram juntos, chamá-los somente quando necessita deles.

É proibido não ser você mesmo diante das pessoas, fingir que elas não te importam, ser gentil só para que se lembrem de você, esquecer aqueles que gostam de você.

É proibido não fazer as coisas por si mesmo, não crer em Deus e fazer seu destino, ter medo da vida e de seus compromissos, não viver cada dia como se fosse um último suspiro.

É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar, esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se desencontraram, esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.

É proibido não tentar compreender as pessoas, pensar que as vidas deles valem mais que a sua, não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.

É proibido não criar sua história, deixar de dar graças a Deus por sua vida, não ter um momento para quem necessita de você, não compreender que o que a vida te dá, também te tira.

É proibido não buscar a felicidade, não viver sua vida com uma atitude positiva, não pensar que podemos ser melhores, não sentir que sem você este mundo não seria igual.

TEXTO DE: Pablo Neruda
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 21 de Abril de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR
Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.

domingo, 16 de abril de 2017

DEIXE IR : PREFIRA ALGUNS MESES DE CORAÇÃO PARTIDO A UMA VIDA INTEIRA DE DECEPÇÕES

Talvez um dos maiores entraves que nos emperrem o seguimento de nossa jornada venha a ser o medo de sofrer. Tememos enfrentar muitas dores, porque achamos que não conseguiremos suportá-las e, por essa razão, muitas vezes acabamos trazendo um sofrimento ainda maior para nossas vidas, mantendo conosco o que não nos ajuda a sermos felizes; muito pelo contrário.

Dentre os sofrimentos que evitamos, encontra-se o medo de nos separarmos do parceiro, que nem mais parceiro é, que nem mais nos ama, nos pede, nos chama para si. 

Protelamos, assim, um rompimento que já se tornou urgente e necessário, evitando tomar a atitude certa, a única atitude, aliás, possível e coerente naquele momento, uma vez que a manutenção desse alguém conosco está acabando com nossa vitalidade, com nossa razão de sorrir, com nosso potencial em amar com reciprocidade.

Por mais que o outro nos ignore, nos esqueça, nos torne invisíveis, muitas vezes acabamos tolerando além da conta, ainda que se extenuem nossas forças, mesmo que avisemos e avisemos de novo. 

Porque a gente acreditou tanto, a gente investiu tudo o que tinha, a gente se doou e se entregou de forma transparente e por inteiro, a gente quer dar certo no amor, ou seja, aceitar a falência daquilo que tomou tanto da gente dói demais.

E, assim, vamos mantendo em nossas vidas exatamente quem deveria ficar bem longe, quem já teve a chance de fazer parte de nós e não fez a menor questão de se doar, de compartilhar, de ser junto, quem nos vê somente como provedores de algum conforto, de alguma coisa de que ele precise, de tudo o que não implique troca e sentimento humano. E, assim, vamos aumentando nossa dose diária de dor e de sofrimento, exatamente porque pensamos estar evitando a dor da separação.
É preciso deixar ir. 

Deixe que vá quem fica por comodismo, quem fica como peso, como bagagem inútil, quem só recebe e nada devolve, quem não nos percebe, não nos enxerga, não nos espera pra nada, por nada. 

Mande embora de sua vida quem encostou feito gelo, quem suga, quem mente, quem pratica o tanto faz. O sofrimento por quem vai embora é dolorido, mas libertador. 

Prefira a dor do rompimento que aos poucos acalma a um sofrer diário por medo de sofrer. Dor sem fim ninguém merece, muito menos você.

TEXTO DE: Marcel Camargo 
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 20 de Abril de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR
Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.

O que é maturidade espiritual?

É quando você para de tentar mudar os outros e se concentra em mudar a si mesmo.

É quando você aceita as pessoas como elas são.

É quando você entende que todos estão certos em sua própria perspectiva.

É quando você aprende a "deixar ir".

É quando você é capaz de não ter "expectativas" em um relacionamento, e se doa pelo bem de se doar.

É quando você entende que o que você faz, você faz para a sua própria paz.

É quando você para de provar para o mundo, o quão inteligente você é.

É quando você não busca aprovação dos outros.

É quando você para de se comparar com os outros.

É quando você está em paz consigo mesmo.

É quando você ao invés de julgar, tenta ajudar.

É quando você faz a sua parte, sem avaliar a do outro.

É quando você entende e aceita a sua missão.

Maturidade espiritual é quando você é capaz de distinguir entre " precisar " e "querer" e é capaz de deixar ir o seu querer.

E por último, mas mais significativo! Você ganha maturidade espiritual quando você para de anexar "felicidade" em coisas materiais.

Desejo a você uma feliz espiritualmente madurecida vida.

TEXTO DE: Autoria não encontrada. Fineza nos informar através do e-mail: mensagem@toninholima.com.br
* * * * * * * * * * * * * * *
Texto lido no programa "Madrugada Viva Liberdade FM" no quadro "Momento de Reflexão" no dia 19 de Abril de 2.017.
* * * * * * * * * * * * * * *
AJUDE-NOS A AJUDAR
Só de clicar nos links de propagandas deste blog você ajuda a Campanha Natal Solidário que promovemos há 23 anos.